segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Sensacionalismo nas 100 horas de cativeiro

O seqüestro da jovem Eloá Cristina Pimentel, 15 anos, que ficou mais de 100 horas em poder de seu ex-namorado Lindemberg Alves, de 22 anos, que teve início na segunda-feira, dia 13 de outubro e terminou na sexta-feira, dia 17, é o assunto mais discutido em todas as mídias.

A interferência de algumas emissoras de televisão junto à negociação poderia ter influenciado a permanecia de Lindemberg no seqüestro, sendo que alguns apresentadores invadiram a situação e entrevistaram ao vivo em rede nacional o ex-namorado, que ainda estava com Eloá presa na casa. Essa atitude seria um furo de reportagem, ou ter aumentado ainda mais a confiança do seqüestrador? Essa é uma pergunta que está na boca de muitos brasileiros, o fato é que ele estava acompanhando todos os noticiários através da televisão e poderia estar se sentido o maioral, sendo destaque de todos os canais.

Especialistas em segurança dizem que o fato sem duvida era muito delicado, sendo que Lindemberg estava armado e disposto a fazer uma loucura ainda maior, que era matar as reféns e se matar logo após. Uma das estratégias da polícia era vencer o jovem pelo cansaço, o que não acontece, pois ele durante todo o tempo pode se alimentar e descansar, o que levou a policia a invadir a casa e resgatar os reféns. Durante a ação de resgate o que se sebe é que Lindemberg disparou contra as duas garotas, atingindo Eloá na cabeça, que não suportou e faleceu no sábado (18), e Nayara no rosto, que está se recuperando.

A confirmação de que foi Lindemberg que atingiu as meninas saíra em alguns dias, com o exame de reconhecimento da arma.

Ainda com a dor da perda da filha os pais de Eloá autorizaram que os órgãos fossem doados, o que ajudou sete pessoas que necessitavam.

Nota-se que a imprensa está dando mais enfoque ao fato de Nayara ter voltado ao cativeiro e não ao fato ocorrido. O que pode se dizer que não foi uma boa solução, mas os meios de comunicação devem também estudar qual foi a estratégia adotada pelo negociador responsável pelo caso, que conseguiu tirar Nayara com vida do cativeiro.


É fantastico...

Uma reportagem que foi ao ar no domingo dia 17 de outubro, no Fantástico da Rede Globo, mostra a avaliação do Instrutor da Swat dos Estados Unidos, Marcos do Val, que explicou várias formas de invasão que poderia ser implantada, só que ele não levou em consideração o fato que existia dezenas de câmeras no local filmando de todos os ângulos e jogando ao vivo para todo o Brasil e Lindemberg poderia estar assistindo e acompanhando todos os passos da policia no lado de fora do edifício.

Acompanhe a reportagem na íntegra e comente!

4 comentários:

Anônimo disse...

É nessas horas que conhecemos os "jornalistas" e os "sensacionalistas", podemos perceber neste caso, que a presença da midia somente atrapalhou nas negociações do seqüestro.Esse caso poderia não ter tido esse desfecho tão tragico, se a midia não tivesse abusado tanto de seus meios.




Rafaela Sanches

Anônimo disse...

Fico inconformada como foram passando os dias e nenhum resultado era obtido. Isso tudo tinha que ter sido resolvido desde o inicio, pois cada hora q passava ele ia enlouquecendo e não sabia mais o que estava fazendo. Cada falha que teve comprometeu a situação e ficou evidente q a midia atrapalhou certas operações da policia.

Krizia

Anônimo disse...

Teria que ter aproveitado as vezes que Lindemberg ia pra janela. Um atirador de elite, fazia certinho o serviço e o fim não seria trágico!
Mas não, só porque o cara não tinha antecedentes criminais, tinha só 22 anos e era um "caso amoroso"; não deram um fim nele!!
Agora ficam questionando se o tiro nas meninas foi antes ou depois da invasão...de que adianta isso agora??

Brasil né, infelismente!!

Vanessa

Elton Rodrigues disse...

Realmente foi isso que aconteceu, um verdadeiro mar sensionalista.