quinta-feira, 11 de agosto de 2011

A febre das manifestações


No Brasil virou febre grupos de revolucionários se reunirem para discutirem suas ideologias individuais. Em 2011, no Brasil, foram realizadas diversas paralisações, entre elas: Parada Gay, Liberação da Maconha, Marcha para Jesus e respeito com o ateísmo.

Juntando todas essas manifestações, teríamos um número significativo de manifestantes a lutar por: melhorias na saúde, educação, carga tributária, corrupção e até mesmo as rodovias. Se o sistema de transporte terrestre, o caminhão, parasse de cortar o Brasil, por três dias, com certeza o país ficaria um caos; aí sim, os governantes olhariam com mais carinho para a classe.

Cuba, por exemplo, vive em um sistema comunista, porém é referência em educação e saúde. Vale ressaltar que o país tem índice de desenvolvimento social bem abaixo dos outros países, consegue ter uma boa educação e ótima saúde. Por que o Brasil não consegue no mínimo uma saúde básica e uma educação com mais investimento? Se a população fosse às ruas para cobrar seus direitos constitucionais, sem dúvida, haveria resultado. Mas, o brasileiro se habituou ao comodismo. “O que vier é lucro”.

Talles Freitas

Um comentário:

Adriana disse...

Gostei, Talles. Acho que falamos disso nas aulas, né? Sucesso pra vc!